O Que Fazer em Florianópolis

Em Florianópolis (SC) o turista pode optar pelas areias badaladas e urbanizadas na orla norte ou se entregar às sossegadas e selvagens praias do sul; umas com ondas violentas, outras de águas calmas, longos trechos de areia e pequenos paraísos escondidos

As praias fazem a fama de Florianópolis: o surfe na Joaquina, os corpos sarados na Praia Mole, os argentinos lotando Canasvieiras, as baladas de Jurerê Internacional.

O Que Fazer em Florianópolis

Abaixo estão sugestões de ótimos passeios para você se divertir em Florianópolis sem precisar colocar o pé na areia.

Santo Antônio de Lisboa

Santo Antônio de Lisboa

Mesmo em época de praia, passar ao menos uma tarde em Santo Antônio de Lisboa é obrigatório. O distrito de colonização açoriana fica entre o Centro e as praias do norte. As casinhas pintadas em cores fortes, o calçamento de pedra de algumas vias, a igrejinha, as lojinhas de artesanato: tudo conspira a favor.



Nos fins de semana fica difícil conseguir um lugar nos deques à beira-mar dos bares e restaurantes. Ainda por cima tem uma boa panorâmica da Ponte Hercílio Luz bem ao fundo. Banho de mar? Mesmo no verão, não é convidativo, as águas são dominadas por barcos de pescadores.

Bater perna pelas lojinhas de artesanato é certeza de desembolsar uma grana, especialmente em peças de cerâmica e rendas. Nas tardes de sábado e domingo, a Praça Roldão da Rocha Pires chapa de barracas durante a Feira das Alfaias.

Ribeirão da Ilha

Ribeirão da Ilha

Certamente você já ouviu falar das ostras de Florianópolis, correto? Pois bem, saiba que o distrito, na parte sul da cidade, é o principal produtor da ilha. Também de colonização açoriana, mas sem o agito e o charme de Santo Antônio de Lisboa, Ribeirão da Ilha remete aquelas cidades do interior paradas no tempo.



Centro Histórico

Centro Histórico

Antes de mais nada, não espere por um Centro Histórico de provocar lágrimas. Mas é um programa divertido para se fazer pela manhã, pode ter certeza.

O ponto inicial pode ser a agradável Praça XV, onde uma figueira de 1871 dá as boas-vindas. Reza a lenda que quanto mais voltas você dar nela, mais riqueza e sorte terá. A Praça XV abriga a Catedral Metropolitana e o Palácio Cruz e Souza, que foi sede do governo estadual e hoje lá funciona o Museu Histórico de Santa Catarina, um típico museu cheio de mobiliário. Entrando no calçadão da Rua Victor Meirelles logo chegamos no Museu Victor Meirelles com as obras do famoso pintor catarinense.

Ponte Hercílio Luz

Ponte Hercílio Luz

Inaugurada em 1926, a maior ponte-pênsil brasileira, com 821 metros, está há muito tempo sem receber carros e pedestres (após uma eterna reforma estrutural, sem previsão de conclusão, está acontecendo agora).

Porém, segue como uma das atrações mais visitadas da cidade – um mirante do final da Avenida Adolfo Konder garante curtir a imponente construção com calma. Sem contar o show que é vê-la iluminada durante à noite.

Passeio de escuna para os fortes

Passeio de escuna para os fortes

Quem disse que você não iria entrar no mar? Ao menos vai a bordo de uma escuna. O mote é ver algumas panorâmicas da praia e da cidade e visitar fortificações.

Aviso importante: se você torce o nariz para passeios com personagens trajados de pirata a bordo, vá bem preparado. Geralmente é a gurizada quem ama esse tipo de entretenimento.

Lagoa da Conceição

Lagoa da Conceição

Cartão-postal de Floripa, a Lagoa da Conceição ocupa um generoso pedaço da parte central da ilha. Tudo acontece por ali. No chamado “centrinho”, brotam lojas, bares e restaurantes, trazendo muita agitação dia e noite.

Entre o centrinho e a Praia Mole, a Avenida das Rendeiras é famosa pelo artesanato de… Rendas, claro, assim como pelos restaurantes que servem a sequência de camarões.